Escolha uma Página

Quer implementar uma gestão eficiente na sua empresa? Conheça nossa loja

Guia prático: Análise SWOT

Bruno Haas

12 de janeiro de 2021

Muitos negócios deixam de crescer tudo o que poderiam ou até deixam de existir por falta de uma visão estratégica completa sobre o ambiente em que estão inseridos.

Vamos entender de forma prática o porquê e como utilizar a análise SWOT para melhorar o planejamento estratégico do seu negócio e aumentar suas chances de sucesso.

Através da análise SWOT, analisamos as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do negócio. É uma ferramenta que pode ser utilizada por empresas de qualquer segmento ou porte.

Vamos a um guia prático criado para auxiliar você a utilizar essa ferramenta:

1. Coleta de informações

O primeiro passo para realizar a análise SWOT é levantar informações.

Ambiente interno

As informações sobre o ambiente interno podem ser obtidas ouvindo a opinião de clientes e colaboradores. Para isso deve-se considerar o que eles têm a dizer sobre os produtos e serviços, a imagem da empresa e os processos do negócio. A partir das opiniões coletadas, uma lista de forças e fraquezas percebidas deve ser criada. Essa determinação é muitas vezes orientada a partir da comparação com concorrentes diretos.

Análise Forças e Fraquezas

Ambiente Externo

Da mesma forma precisamos informações sobre o ambiente externo. Essas informações podem ser obtidas através de fontes do setor de atuação, como jornais, relatórios, pesquisas ou ainda através da opinião de especialistas. Outra fonte pode ser a análise competitiva dos concorrentes. É importante fazer uma análise futura de como esses fatores poderão influenciar o seu negócio.

A partir dessas informações, uma lista de oportunidades e ameaças deve ser criada. Duas maneiras úteis de categorizar os itens são através da análise PEST (ambiente político, econômico, social e tecnológico) e das 5 forças competitivas de Porter (novos entrantes, fornecedores, concorrentes, produtos substitutos e clientes).

Análise PEST
Análise 5 Forças

2. Montando a matriz SWOT

Agora vamos montar a matriz SWOT. A partir das listas de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças, priorizamos os itens que julgamos mais relevantes para o negócio.

A priorização de muitos itens pode tornar a análise complexa demais, assim como utilizar poucos itens a torna pouco efetiva, por esta razão sugerimos uma média de 5 itens por categoria. Para auxiliar na priorização pode ser utilizada a GUT (Gravidade, Urgência e Tendência) para atribuir nota aos fatores e destacar os mais importantes:

critérios análise GUT
exemplo GUT fatores externos

3. Determinando a relação dos itens da matriz SWOT

Depois da priorização, precisamos criar relações entre todos os itens que foram colocados na matriz. Devemos cruza-los classificando a intensidade das relações. Os cruzamentos podem ser classificados pelo grau de intensidade: 0 sem nenhuma relação, 1 com relação fraca, 2 moderada ou 3 forte. Para isto podemos usar 4 pergunta para cruzar os fatores, conforme o exemplos abaixo:
 

Aplicando esta lógica de cruzamento teriamos uma matriz como abaixo:

Com cruzamento de todos itens podemos  analisar detalhadamente as relações e definir as ações estratégicas para os quadrante.

4. Definindo ações estratégicas

Agora, com base na Matriz SWOT, vamos definir os quadrantes de ações estratégicas através do cruzamento dos itens listados no ambiente interno com o ambiente externo.

  • matriz de desenvolvimento mostra oportunidades onde não temos nenhuma força relacionada. Nela podemos enxergar oportunidades que não estão sendo aproveitadas.
     
  • matriz de restrições mostra oportunidades onde existe relação de alta intensidade com fraquezas. As fraquezas relacionadas precisam ser superadas para que possam aproveitar as oportunidades.
     
  • matriz de sobrevivência mostra ameaças onde não há nenhuma força relacionada. São ameaças para as quais não existe uma força de proteção equivalente
     
  • matriz de riscos mostra ameaças que possuem relação de alta intensidade com fraquezas. São fraquezas que podem facilitar a concretização de ameaças.
     
  • matriz de fortalecimento mostra forças que tem relação de alta intensidade com oportunidades. São as forças que contribuem para o acesso das oportunidades.
     
  • matriz de proteção mostra forças que tem relações de alta intensidade com ameaças. São as forças que previnem a concretização de ameaças.
     

Com base nas matrizes devemos então estabelecer um plano de ação estratégico para atacar os pontos mais importantes revelados pela análise. Por exemplo:

Na análise SWOT de um negócio, a matriz de proteção revelou que os Clientes fiéis a empresa protegem a empresa de sofrer os efeitos de uma desestabilização na economia. Para sustentar essa condição, estabelecemos a ação estratégica de manter a aprimorar a relação com os clientes, através de um trabalho de pós vendas e da implementação de um CRM. Definindo a prioridade, um responsável e o prazo para a efetivação dessa ação. Dessa forma garantimos que os principais pontos levantados pela análise SWOT serão traduzidos em ações efetivas.

Interessado em Análise SWOT? Assista em nosso canal de capacitação a vídeo aula sobre o método e comece também a utilizar a planilha Resultar Análise SWOT:

Todos os conceitos e passos para se realizar um Análise SWOT completa, clique no link abaixo para acessar:

Resultar Gestão Acreditamos que o conhecimento sobre gestão somado a ferramentas adequadas é a peça fundamental para que as organizações atinjam os melhores resultados.

Tem alguma dúvida ou gostaria de compartilhar alguma experiência? Deixe o seu comentário abaixo!

Artigos relacionados