fbpx

Diagrama de Ishikawa- Guia de Gestão

Diagrama de Ishikawa- Guia de Gestão

by resultar gestão maio 28, 2021

Introdução

O que é?

O diagrama de Ishikawa, também conhecido como diagrama de espinha de peixa, é uma ferramenta utilizada para encontrar as causas para um determinado efeito ocorrer. O nome Ishikawa tem origem no seu criador Kaoru Ishikawa. O Diagrama de Ishikawa, de modo específico, diz respeito a um gráfico que organiza a análise de um problema prioritário de maneira lógica e visual.

Quais os benefícios?

O diagrama de Ishikawa é uma ferramenta que permite estruturar hierarquicamente as causas potenciais e contributivas de determinado problema ou oportunidade de melhoria, bem como seus efeitos sobre a qualidade dos produtos. A lógica de sua estruturação facilita o estudo e identificação da causa que gera o efeito, tornando-se o início de um trabalho que origina o planejamento de ações para solucionar problemas, melhoria de processos e etc.

As 7 ferramentas da qualidade

As 7 ferramentas do Controle de Qualidade são:  Fluxograma, Diagrama de Ishikawa (Espinha-de-Peixe), Folha    de    Verificação, Diagrama    de    Pareto, Histograma, Diagrama  de  Dispersão  e  Cartas  de  Controle.  Estas sete ferramenta surgiram a partir da década de 50, e tem como base principal a solução de problemas e a melhoria de processos.   


Passo a Passo

Como fazer?

Neste guia preparamos um passo a passo com as principais etapas necessárias para realizar a investigação de causa e efeito através do Diagrama de Ishikawa.               

1. BRAINSTOMING

É o momento onde você lista as possíveis causas para o efeito (problema analisado ou melhoria). Você, juntamente com um time multifuncional, irá elencar as causas e atribuir a um meio que ela está relacionada, que são:

  • Máquina
  • Medição
  • Método
  • Mão de obra
  • Meio ambiente
  • Materiais

2. ANÁLISE DAS CAUSAS, CLASSIFICAÇÃO E PRIORIZAÇÃO

Este é o momento em que o time avaliará criteriosamente cada ponto levantado durante o Brainstorm. Você também irá classificar a causa como potencial ou contributiva para ocorrência do efeito, que irá auxiliar e detalhar mais sua investigação. Você poderá, com sua equipe, priorizar as causas utilizando o método GUT (Gravidade, urgência e tendência), isto irá esclarecer quais as causas, segundo o time, podem ser a causa raiz do problema.

3. ANÁLISE (5 PORQUÊS)

Agora os problemas elencados no Brainstorm já foram classificados e priorizados e você aprofundará a análise de causa e efeito utilizando o método dos 5 porquês, o que fará você ir mais fundo no diagnóstico e descobrir qual o porquê do efeito que você está analisando estar ocorrendo.

Os 5 porquês é uma técnica de análise que entende que após perguntar 5 vezes o porquê um problema está acontecendo, relacionado a causa anterior, será determinada a causa raiz do problema. “Porque está causa está ocorrendo?”

No exemplo que seguirá abaixo a causa raiz foi encontrada após o terceiro porquê. É importante entender que nem sempre a análise será realizada com os 5 porquês, muitas vezes a equipe encontrará a razão de um efeito ocorrer antes disto. Vamos ao estudo de caso:

4. DIAGRAMA

O diagrama é uma estrutura visual para ver as causas do seu problema ocorrer. O diagrama apresenta as causas identificadas em cada âmbito e através deste é possível uma análise sobre os principais pontos para solucionar o problema em questão.

5. MELHORIA CONTÍNUA

Com a análise realizada você poderá definir um plano de ação para endereçar as causas principais e buscar as soluções mais eficazes para a situação problema. Uma dica valiosa é a organização da sua implementação através do método PDCA.

O PDCA engloba 4 etapas: Plan (Planejar), Do (Executar), Check (Verificar), Act (Agir). O PDCA não é uma ferramenta, ele é um método cíclico que pode ser repetido continuamente.  Em cada uma das suas etapas podemos utilizar ferramentas que nos ajudem a atingir os objetivos desejados. Através do PDCA é possível melhorar continuamente os processos,  promovendo uma maior organização dos recursos, prevenindo problemas e perdas e otimizando os ganhos.  

Compartilhe

1 Comments

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *